A Origem do CEBRAS

Os primórdios do CEBRAS se encontram nas atividades das ABRAS (Ass.Bras.de Comércio na Alemanha) a partir de 2003.

Na época as visitas da ABRAS as feiras que ocorriam na Alemanha, muitas vezes demonstravam uma participação de empresários e entidades muito aquém do potencial brasileiro. As atividades comerciais brasileiras ainda priorizavam o imenso mercado nacional, ambiente conhecido e relativamente fácil para o desenvolvimento de negócios para as empresas nacionais.

Entre outros pontos, as apresentações eram deficientes e não adaptadas ao mercado local, por exemplo careciam do empreendimento do idioma local ou de preparação suficiente para a participação no evento, e pior, o entendimento do mercado alvo. Muitas vezes os empresários voltavam frustrados, porque as expectativas não eram atendidas em decorrência de uma postura passiva.

Da mesma forma, a retórica institucional da promoção comercial enfatizava a Atração de Investimentos, como se o investimento estrangeiro fosse a única solução para o desenvolvimento nacional, desconsiderando que o Brasil na época, com a reestruturação mundial protagonizada pela abertura dos mercados Chinês e Russo, se tornou periférico à nível mundial e deixava de ser alvo de novos investimentos estrangeiros.

Face ao panorama supra exposto, a ABRAS passou a sustentar a tese de que se fazia necessária uma mudança de postura, deixando a passividade e adotando medidas ativas do empresariado brasileiro a nível mundial: Vender e Parar de ser comprado! Como externado na época, entre outros, em um artigo publicado na Gazeta Mercantil.

Enquanto o empresariado brasileiro não perseguir ativamente os seus interesses no âmbito internacional, ele continuará sendo objeto de barganha. Não serão os outros a zelar pelo crescimento externo do Brasil; faz-se necessário assumir ativamente a representação dos interesses brasileiros por brasileiros pelo mundo afora.

O referido artigo já postulava na época a necessidade de Internacionalização do empresariado brasileiro em caráter pioneiro. No entanto, foram precisos anos até que a tese postulada adquirisse o vulto que apresenta na nossa atualidade.

Da mesma forma, o processo de internacionalização do empresariado brasileiro ainda continua sendo fato incipiente, entre outros, por falta de estrutura brasileira a nível internacional. É aqui que surge o CEBRAS.

Identificado o panorama exposto e a maturidade atual do processo de internacionalização no Brasil, surge a demanda por uma estrutura, composta e administrada por brasileiros aptos e qualificados, para prestar o suporte local no exterior para o benefício da nossa comunidade empresarial.